Dicas

  • Decoração minimalista: dicas para adotar o estilo

    Decoração minimalista: dicas para adotar o estilo

    Dê adeus aos excessos com o décor minimalista!

    Você já ouviu falar sobre o minimalismo? O estilo, que está dominando o mundo da decoração, tem como premissa o “menos é mais” e é uma ótima opção para aqueles que querem dar um upgrade na decoração da casa, mas não abrem mão do simples.

    Por isso, se você está à procura de inspirações para decorar a sua casa, separamos um guia completo sobre tudo o que você precisa saber sobre o estilo minimalista. Confira!

    Como surgiu o estilo minimalista?
    O minimalismo surgiu por volta dos anos 60, nos Estados Unidos, como um movimento artístico e cultural que tinha como objetivo usar apenas elementos fundamentais como base de expressão.

    De lá pra cá o estilo cresceu tanto que começou a influenciar também o campo da arquitetura e decoração. E foi aí que a disseminação da ideia do “menos é mais” começou.

    Para quem curte essa pegada mais básica, é legal saber que o estilo conta com referências do design industrial e escandinavo, onde a decoração alia funcionalidade à estética.

    Características do Estilo Minimalista

    foto01

    Como mencionamos anteriormente, a essência principal do estilo minimalista é o “menos é mais”, por isso, é sempre bom pensar em funcionalidade em primeiro lugar. Ou seja, só coloque ou compre um novo móvel caso ele tenha alguma utilidade para você. A ideia é sempre combinar conforto, funcionalidade e beleza com o mínimo possível.

    Algumas outras características também são bastante importantes para o estilo. Veja só!

    As cores do minimalismo

    No estilo minimalista, a aposta certa é nas cores neutras. Dê preferência para o cinza, preto, branco e marrom e claro, todos os tons que os permeiam.

    Mas, se você quiser quebrar um pouco a monotonia, apostar nas cores mais vibrantes pode ser uma boa ideia. A dica é colocar itens com cores fortes no meio da decoração; quebrando um pouco da formalidade do ambiente. Aposte em almofadas, quadros e vasos de flores, por exemplo.

    Iluminação

    O estilo minimalista valoriza a iluminação natural dos ambientes, por isso, você pode apostar na inclusão de grandes janelas de vidro em ambientes como sala de estar, sala de jantar e hall. Além de potencializar a iluminação natural, também valoriza a cor das paredes.

    Para iluminar a noite, o ideal é apostar em pendentes de alumínio e abajures. Quando for escolher, opte por modelos de lustres simples e na cor rosé gold, que estão super em alta na decoração. Em relação a materiais, o ideal é apostar em itens de madeira, cobre e concreto.

    Mobília

    No estilo minimalista, os móveis possuem um design de linhas mais retas, são mais baixos que o normal e claro, são sempre funcionais. Por isso, invista em uma mobília funcional, básica e clean.

    É bom lembrar que, assim como a decoração, a organização também conta muito no estilo. Portanto, mantenha sempre tudo bem organizado e guardado em seu devido lugar.

    Objetos na decoração

    Como no estilo minimalista tanto os móveis, quanto as paredes possuem cores neutras, os objetos são o grande segredo para dar aquele toque especial na decoração.

    Invista em pôsteres, vasos de flores, espelhos com molduras e quadros em tons pastéis. Para quem quiser dar ainda mais destaque, a dica é apostar nos itens de cores mais vibrantes, como vermelho, laranja e amarelo; deixando o visual mais sofisticado e harmonioso.

    Vantagens do estilo minimalista

    Não é toa que a decoração minimalista faz tanto sucesso hoje em dia, adotar esse estilo de vida traz inúmeras vantagens para seu dia a dia, tais como:

    Tranquilidade: proporciona um ambiente mais organizado e sem poluição visual; trazendo uma sensação de calma e leveza;
    Limpeza: com menos móveis e objetos de decoração, consequentemente a limpeza da casa se torna mais fácil;
    Economia: com tons mais neutros e a valorização da iluminação natural, os gastos com energia elétrica acabam diminuindo consideravelmente.
    Para se inspirar
    Veja como trazer o estilo minimalista para cada ambiente da sua casa:

    Sala de estar

    foto02

    Na sala de estar, o ideal é deixar à vista somente o essencial. Aposte em um sofá de cor neutra, painel para colocar a TV (e dar adeus às prateleiras) e claro, uma boa e velha mesinha de centro. Para deixar o ambiente mais alegre e receptivo aos convidados, use e abuse de pontos de cor em quadros, almofadas e tapetes.

    Quarto

    foto03

    No quarto, invista somente nos móveis indispensáveis, como: cama, criado-mudo, luminária, guarda-roupas e espelho. Para criar um ambiente com clima ainda mais agradável, aposte em uma boa iluminação; sempre combinando cores e estampas.

    Aposte em cortinas e persianas também nas cores neutras e tons pastéis; pois, além de tornar o ambiente mais agradável, pode ser usado durante todo o ano.

    Cozinha

    foto04

    A cozinha, acima de todos os outros ambientes, precisa ser ainda mais funcional. Deixe em vista apenas os eletrodomésticos que mais usa, uma forma eficiente de deixar a decoração sempre organizada e facilitar na hora do preparo das refeições.

    Para quem está à procura da mobília perfeita, o ideal é apostar em móveis planejados; uma forma de deixar tudo uniforme e claro, mais organizado.

    Fonte: C&C


  • Como escolher o rodapé ideal

    Como escolher o rodapé ideal

    Cada vez mais importantes, os rodapés se tornaram de vez um item de decoração.

    Antes o rodapé era usado apenas para ajudar na proteção e limpeza da casa, mas, com o passar do tempo ele vem se tornando um item que compõe a decoração do ambiente. Hoje ele tem todas estas funções, disfarçam pontos elétricos e também podem embutir fiações indesejadas de ficarem expostas.

    Existem diversos tipos e materiais de rodapés disponíveis, o que amplia as possibilidades na hora de escolher o modelo ideal para você. Para você entender mais sobre cada detalhe dos rodapés a C&C preparou este conteúdo. Vamos lá!

    Tipos
    Apesar de parecer algo simples, os rodapés contam com grandes variações em altura e detalhamento. Existem os rodapés que são mais altos, visando destaque para casas com pé-direito alto ou duplo. Os baixos são simples e tradicionais. Além dos lisos e frisados, onde o primeiro deixa o destaque para a decoração e o outro, traz a decoração para o rodapé, o que lhe confere estilo.

    Além disso, há também tipos distintos de rodapés: Embutidos, sobrepostos e invertidos ou flutuantes. Abaixo você confere cada um deles e suas diferenças.

    Embutido

    foto01

    O rodapé embutido fica rente à parede, dando sequência natural ao revestimento. Com isso, esse tipo de rodapé precisa ser instalado junto com o revestimento, já que ele não tem nenhum sobressalto.

    Este tipo de rodapé não é tão comum, mas traz uma elegância ímpar para uma parede, podendo ser discreto ou marcante, dependendo do revestimento escolhido na hora da aplicação.

    Sobreposto

    foto02

    Mais comum nas casas e entre os estilos de decoração, o rodapé sobreposto é o tipo mais clássico dentre todos. É instalado após a instalação do piso e revestimento, por isso ele fica sobreposto ao revestimento.

    Combina com todo o tipo de decoração, até por ser o rodapé mais comum. Conta com diversos materiais - falaremos abaixo - e alguns desses materiais podem ser pintados ou customizados para harmonizar ainda mais com o ambiente e usos.

    Invertido ou flutuante
    O rodapé invertido é o que fica para “dentro” da parede, o que dá a impressão de que a parede está flutuando. Por isso o termo também é usado para definir este tipo.

    Bastante incomum, o rodapé flutuante é moderno e ousado, encaixando bem em decorações que entram nessas descrições como clean, minimalista, colorida e industrial, por exemplo. Como cria-se um espaço entre o chão e a parede, alguns projetos contam até com iluminação no rodapé!

    Materiais
    Depois de cada tipo e suas descrições, existem também os diferentes materiais que são usados nos rodapés. Cada material tem uma maneira de aplicar e também suas restrições, por isso não deixe de conferir.

    Gesso

    foto03

    Delicado, o gesso vem caindo em desuso, já que é frágil e não pode entrar em contato com água. Por isso, seu uso está ficando cada vez mais restrito ao teto, local onde sua aplicação é bem comum.

    Porcelanato ou cerâmica

    foto04

    Um rodapé de porcelanato ou cerâmica acompanha o piso do ambiente instalado, o que traz uma sensação de amplitude do local. É uma aplicação simples, objetiva e rápida, já que o corte é feito no local e é usado o porcelanato já comprado para o piso.

    Fique atento quanto a quantidade de porcelanato comprado, já que o rodapé consome um pouco mais que o espaço do chão.

    Madeira

    foto05

    Bastante tradicional, o rodapé de madeira foi muito usado no país desde a época colonial, mas, com o passar do tempo, se tornou obsoleto. De difícil instalação, ele foi substituído por outros materiais, alguns que até simulam madeira.

    Cimento
    Vendido em barra, assim como a madeira, o rodapé de cimento é ideal para locais onde o piso já é de cimento. O corte das peças é feito no local e sua instalação é feita com argamassa, por isso, sua instalação é mais cuidadosa. Todo caso, é uma decoração bem industrial e que vem ganhando popularidade, já que o cimento queimado está em alta.

    MDF
    Bastante utilizado atualmente, o MDF pode ser entregue cru, revestido de laca ou pintado. Quando pintado, as cores padrão são branco, preto e tons que imitam a madeira. Para outras cores, é possível pintar o rodapé na obra. É um material indicado para locais secos, já que em áreas úmidas ele tem menor durabilidade.

    Mármore ou granito

    foto05

    Mais utilizado em áreas externas, o mármore e o granito são materiais resistentes e sofisticados. O rodapé do material é mais barato que o piso, portanto ele dá um acabamento refinado no ambiente. Tem três acabamentos diferentes: jateado, polido ou escovado.

    PVC
    Moderno e com bom custo-benefício, o PVC conta também com uma cavidade interna, que possibilita passagem de fios. Funciona muito bem também em ambientes que têm contato com água, se tornando um bom coringa para todas as situações.

    Poliestireno

    foto07

    O poliestireno chegou com tudo e vem conquistando seu lugar ao sol. Pode ser encontrado em diversos formatos e tamanhos, além de ser ecologicamente correto e com possibilidade de pintá-los com tinta acrílica. Usa-se apenas cola ou silicone na sua instalação, o que facilita a sua aplicação. Também conta com uma cavidade para a passagem de fiação.

    Fonte: C & C


  • 5 dicas para escolher a cortina ou persiana perfeita

    5 dicas para escolher a cortina ou persiana perfeita

    Elas vestem as janelas e fazem toda a diferença na decoração. Produzidas com tecidos tecnológicos que unem beleza e funcionalidade, diversos modelos de cortinas e persianas colaboram para a redução da entrada de calor no ambiente, protegem móveis e revestimentos da radiação solar, reduzem ruídos externos, inibem o acúmulo de poeira, entre outras vantagens.

    Vai comprar cortina/persiana e está em dúvida? Confira nossas dicas para escolher a cortina ou persiana perfeita para seu ambiente!

    1- As cortinas e persianas dão um toque final à decoração, por isso, o ideal é comprá-las depois de definir os móveis, revestimentos e cores das paredes.

    foto01

    2- Antes de comprar a cortina ou persiana analise a janela que vai cobrir. Se a paisagem for atrativa e com boa luz, evite cores escuras. Opte por tecidos claros e leves que permitam a vista da paisagem. Vale lembrar que tecidos muito leves não impedem a entrada de luz solar, para isso, é preciso complementar com uma cortina rolô, que é ótima para barrar a entrada de raios UV. Mas se a vista não é das melhores, aposte em tecidos alegres e coloridos.

    foto02

    3- Cortinas e persianas com elementos neutros caem bem em qualquer estilo de decoração e favorecem os espaços pequenos.

    foto03

    4- Cortinas e persianas estampadas, com cores fortes, de fibra ou de madeira no tom natural criam um clima despojado e favorecem ambientes amplos.

    foto04

    5- As persianas não precisam cobrir toda a parede, do teto ao piso. Você pode deixar uma sobra de cerca de 10 cm de cada um dos lados e cerca de 20 cm abaixo do peitoril. Já as cortinas, o ideal é que preencham toda a parede do teto ao chão.

    foto05

    foto06

    Fonte: Blog e Decore


  • Restauração de móveis

    Restauração de móveis

    Sabe aquele móvel antigo que já não combina mais com a sua decoração? Ao invés de comprar um novo, você pode restaurá-lo. O que acha? Além de economizar, você ainda faz bem ao meio ambiente.

    O mais importante para a restauração de móveis de madeira é ter paciência, já que os procedimentos exigem cautela e tempo. Quer aprender a restaurar? Veja o passo a passo que separamos para você!

    Primeiro passo: a primeira coisa que é preciso fazer é remover todos os acessórios do móvel, tais como: puxadores, alças, dobradiças e outras partes removíveis; evitando que a tinta estrague os acessórios;

    Segundo passo: com um pano úmido, limpe a sujeira acumulada; deixando a peça totalmente pronta para a pintura;

    Terceiro passo: para corrigir as partes danificadas, como buracos, superfícies lascadas e amassados use massa corrida para madeira;

    Quarto passo: com uma lixa de madeira remova qualquer resíduo de verniz ou tinta que esteja na peça; facilitando a aderência da nova tinta;

    Quinto passo: depois de escolher a cor e o tipo de tinta, é hora de começar a pintura! Utilize os rolinhos de espuma e os pincéis, fazendo movimentos em sentido único. Fique atento aos detalhes, caso precise, depois de secar, aplique outra camada de tinta.

    Sexto passo: depois de tudo pronto, é só colocar todos os acessórios de volta no lugar e está pronto para sua nova decoração.

    foto02


  • Decoração para Jantar Romântico – Valentine´s Day

    Decoração para Jantar Romântico – Valentine´s Day

    O Dia de São Valentim é uma data comemorada em 14/02, e é equivalente ao Dia dos Namorados no Brasil.

    Você conhece a origem desse dia?

    Foi criado em homenagem ao Bispo Valentim, mártir da Igreja Católica, que desobedeceu às ordens do imperador romano Cláudio II, e continuou realizando casamentos durante os períodos de guerra. O imperador achava que os homens solteiros eram melhores combatentes, e ao descobrir a atitude do bispo, ordenou que fosse preso e condenado à morte. Durante sua prisão o bispo recebeu cartas de apoio de muitos jovens que escreviam que acreditavam no amor. Valentim se apaixonou pela filha cega do carcereiro, que por milagre voltou a enxergar. Antes de ser executado ele deixou uma carta par ela, assinada como “De Seu Namorado” ou “De seu Valentim”. História à parte, apesar de não ser muito comemorada por aqui, a data não deixa de ser uma boa oportunidade para celebrar o amor, não é mesmo?

    Então, encha o coração de afeto e anote nossas dicas de decoração para um jantar romântico em casa.

    Dicas para um jantar romântico

    Iluminação

    Meia luz é uma boa ideia, e velas sempre trazem um clima mais intimista. Coloque 1 ou 2 velas em candelabros sobre a mesa e espalhe algumas pela casa.

    foto01

    Decoração

    Flores alegram o ambiente e deixam o lugar mais aconchegante. Opte por um arranjo pequeno e delicado para mesa, mas não se esqueça de enfeitar também, outros cantos da casa. Pétalas de flores na água dão um charme especial à decoração.

    Veja algumas ideias de arranjos:

    foto02

    Aroma

    Você pode usar algumas gotinhas de óleo de essência ao redor do pavio das velas a serem usadas, ou pode usar aromatizadores com fragrâncias suaves. Algumas têm a fama de serem afrodisíacas: Jasmin, Rosa e Ylang Ylang, por exemplo. Os aromatizadores de cerâmica são uma boa ideia. Pois cumprem dupla função: iluminam e perfumam, dando um toque especial à decoração. Há também os aromatizadores em varetas e spray.

    foto03

    Mesa

    Capriche na montagem da mesa, com uma toalha discreta, louça, copos e talheres bem organizados. Lembre-se que o cuidado com a apresentação da mesa será notado pelo convidado.

    foto04

    Os pratos e talheres devem harmonizar com a decoração do jantar romântico.

    Trilha Sonora

    Para “quebrar o gelo” nada melhor do que um sonzinho suave. Se o casal já tiver “aquelas” músicas preferidas, monte uma playlist e deixe rolando em som baixo o suficiente para poder ser ouvido, sem atrapalhar a conversa. Se você ainda não conhece muito bem o gosto musical do (a) convidado (a), aposte nos clássicos.

    foto05

    Fonte: Viva Decora


  • Dicas básicas para organizar a cozinha

    Dicas básicas para organizar a cozinha

    Confira dicas básicas e eficientes para organizar sua cozinha de uma vez por todas.

    A cozinha pode ser considerada um dos ambientes sagrados da casa, pois é ali que preparamos refeições gostosas e especiais para receber amigos e familiares em momentos que cultivam a alegria e a proximidade com essas pessoas.

    Muitas vezes não damos a devida atenção ao ambiente ao pensar que ninguém passará por lá ou então abraçamos a desculpa do “depois eu arrumo”.

    A questão é que, independente de esperar por alguém ou não, manter a cozinha organizada facilita a sua vida e seu dia a dia, permitindo praticidade na hora de fazer sua refeição. Além do mais, manter o ambiente em ordem proporciona todo um charme especial e completa o embelezamento de sua casa. Desde os móveis até a disposição dos objetos, devemos zelar pela organização de nossas coisas.

    Para que você se inspire e coloque a mão na massa e deixe tudo em seu lugar, nós separamos algumas dicas que auxiliarão você nesse processo, confira!

    Objetos menores: guarde já!

    foto01

    O que não falta nos itens de cozinha são objetos pequenos, porém fundamentais. Desde abridores de lata, saca-rolhas, talheres e os mais variados acessórios, esses “mini” itens merecem atenção especial, pois quando você mais precisar, você não os encontrará caso não estejam em seus devidos lugares.

    Uma ideia prática e fácil é distribuir todos esses pertences em gavetas. Reserve os repartimentos de seu armário de cozinha exclusivamente para isso e separe em categorias. Garfos e facas, por exemplo, podem ser alocados em um separador de talheres. Em outra gaveta, você pode colocar os que forem maiores, como conchas, espumadeiras e etc. Isole também objetos cortantes e pontiagudos, como tesouras e facas especiais de corte.

    Outra boa sugestão é separar os objetos que usa esporadicamente, como o abridor de latas e o saca-rolhas que citamos, cortadores de pizza, colheres de sorvete e etc. Por último, uma gaveta para guardar toalhas e panos de prato também cabe nessa separação. Você perceberá que essa pequena organização proporcionará praticidade no seu dia a dia.

    Ter muita coisa não é sinônimo de bagunça

    foto02

    Se você tem um milhão de vasilhas diferentes, mais outro milhão de pratos específicos para cada ocasião, sem contar nas taças que cada bebida exige, temos duas coisas a dizer: primeiro, parabéns, pois seu kit de cozinha está bastante completo e isso com certeza é algo para se orgulhar. Em segundo lugar, não se desespere e não dê desculpas a si mesmo: ter muita coisa não é sinônimo de bagunça!

    Você pode organizar todos os seus itens abusando da distribuição em prateleiras, estantes e nichos, basta você usar a sua criatividade. É claro que é extremamente importante saber o que mais utiliza na sua rotina culinária, a fim de não acumular coisas que tiramos do armário uma vez ao ano - e olhe lá.

    Para ambientes pequenos, explorar as paredes da cozinha é a dica perfeita para ajudar na arrumação. Nichos e prateleiras permitem manter as coisas a fácil acesso, sem ocupar os locais que precisamos deixar livres para manusear as coisas. Assim, você terá seus acessórios no seu campo de visão, sem interferir em sua produção. Cestos para guardar vidros de condimentos e temperos também são uma forma de economizar espaço.

    Outra tática capaz de deixar sua cozinha bem organizada e que oferece um toque delicado ao local é instalar ganchos onde você possa pendurar suas xícaras (pelas asas) e os mais variados aramados. Assim você otimiza o espaço, mantém os itens à vista e ainda personaliza seu ambiente.

    Escolha a iluminação certa para sua cozinha

    foto03

    Muitas vezes nos preocupamos com projetos de iluminação para toda a casa e esquecemos de um ambiente que precisa de tanta atenção quanto qualquer outro: a cozinha! Escolher a iluminação certa para esse ambiente é fundamental para que, quando formos utilizá-lo, não fiquemos mais cansados. Afinal, cozinhar deve ser um momento prazeroso.

    Sempre que possível priorize a iluminação natural. Se estiver reformando ou construindo, opte por janelas grandes que permitam a entrada dessa luz e explore todos os pontos que puder. Somente depois projete o restante do ambiente com lâmpadas e variações.

    Nesse caso, não use uma única lâmpada como fonte de toda a iluminação da cozinha, pois ela gera sombra e atrapalha sua produção. Espalhe pontos de luz, como nos armários que ficam sobre a pia - eles ajudam a visão no momento de manusear e preparar alimentos, por estarem especificamente direcionados. Dê importância também à intensidade e cor que escolherá para o ambiente. Luzes amareladas oferecem sensação de relaxamento e conforto, enquanto as luzes brancas são ideais para momentos que exigem maior concentração e foco.

    A iluminação da sua cozinha também pode ser um acessório de decoração. Se tiver uma bancada, invista em luzes suspensas, sempre atento à distância e ao tamanho da luminária - cozinhas pequenas não comportam um item gigantesco, né?! Aposte também em pontos de luz decorativos, que podem direcionar ou apontar para algo que você queira destacar, ressaltando o decor.

    Atenção especial aos itens de limpeza

    Toda cozinha demanda produção e toda essa produção causa, inevitavelmente, sujeira. No entanto, manter o local sempre organizado torna esse momento de limpeza muito mais simples do que quando tudo está de cabeça para baixo.

    Dê atenção especial aos itens de limpeza. Mantenha-os perto, mas lembre-se de deixá-los isolados dos produtos alimentícios, por uma questão básica de higiene. Reserve um espaço exclusivo que permita fácil acesso quando for utilizá-los, podendo ser em uma repartição do seu armário, em um cesto específico para isso, ou até mesmo em um nicho distante dos alimentos. Use sua criatividade!

    A melhor organização é a sua

    foto04

    Ninguém utiliza e conhece sua cozinha mais do que você. Portanto, a melhor organização para o seu ambiente é aquela onde tudo se torna mais simples e prático, facilitando o seu dia a dia. Inspire-se com ideias e dicas, mas adapte-as ao jeito que tornará o seu momento culinário mais prático e prazeroso.

    Você pode arrumar por item (copos para um lado, pratos para o outro), por frequência de uso ou, se for mais criterioso, por tamanho e tipo dos objetos. Determine o que se encaixa melhor na sua utilização diária para entender qual a melhor organização para sua cozinha.

    Fonte: C & C


  • Deixe sua casa mais fresca no verão com 11 dicas práticas

    Deixe sua casa mais fresca no verão com 11 dicas práticas

    Casa abafada é praticamente sinônimo de verão. Se já está preocupado com as altas temperaturas que estão por vir, saiba que alguns truques simples de decoração podem dar uma ajudinha e até diminuir os gastos com ventilador e ar-condicionado.

    Confira 11 sugestões listadas pelo arquiteto Sergio Astrauskiene e leve mais frescor aos ambientes:

    1) Substitua tapetes peludos e de cores escuras ou fortes por peças de fios curtos e tons pastel;
    2) Itens de vidro refrescam. Vale investir em espelhos, vasos, quadros de foto com vidro protetor;
    3) Excesso de objetos torna os espaços mais abafados. Portanto, retire bibelôs, abajures, artigos de madeira;
    4) Se for possível, elimine cores escuras das paredes. Dê preferência a tonalidades claras e pastel. Use tinta, papel de parede ou adesivos;
    5) Sofás de tecidos pesados, como veludo e camurça, e de cores fortes não combinam com o verão. Que tal cobri-los com capas de panos leves? Entre as opções estão algodão e linho;
    6) As mantas de sofá devem ser deixadas de lado nos meses mais quentes;
    7) É interessante colocar capas nas almofadas muito escuras. Componha o visual com tecidos leves (linho, algodão, seda) de cores claras;
    8) Acha que a cortina está deixando o ambiente "pesado"? Como tirar o forro pode atrapalhar para assistir TV, mude o seu xale. Deixe-o em um tom mais suave;
    9) As lâmpadas de LED não aquecem o ambiente como as tradicionais e ainda são mais econômicas;
    10) Lance mão de plantas, mas tenha cuidado. É que folhagens muito grandes e volumosas podem carregar locais pequenos e conferir sensação de calor;
    11) Quem gosta de fontes tem um motivo a mais para colocá-las na casa. É que a umidade delas colabora com os moradores no verão. A mesma regra se aplica a aquários e outros artigos de decoração com água.

    Fonte: Terra - Casa e Decoração


  • As maiores tendências de decoração para 2019

    As maiores tendências de decoração para 2019

    Com a chegada de um novo ano, as tendências de decoração também são colocadas em pauta. Afinal, qual é a cor destaque da vez? Com ou sem estampas? Estilo retrô ou romântico?

    Especialistas baseiam-se nas atitudes comportamentais da sociedade como um todo, bem como nos reflexos de diversos âmbitos para chegar a um padrão de quais serão os pontos de aposta para o ano posterior.

    E você com certeza já está pensando no que vem por aí em 2019, não é mesmo?! Algumas das principais tendências de decoração deste novo ano para você ficar por dentro e repaginar sua casa. Confira!

    Os principais estilos de decoração para apostar em 2019

    foto02

    Quando falamos em estilos de decoração, devemos mesclar dois pontos muito importantes:

    O que combina com a nossa personalidade;

    O que é tendência de decoração;

    O equilíbrio entre esses dois fatores nos permite encontrar uma decoração atual e que, ao mesmo tempo, represente nossa individualidade. Afinal, não adianta escolher algo que é tendência quando, no fim, não nos sentimos confortáveis no ambiente.

    E a palavra do estilo de decoração para 2019 é esta: conforto. O ano aborda uma busca pela sensação de aconchego e familiaridade, tornando os lares ainda mais agradáveis.

    Os estilos que trazem esse aspecto mais acolhedor e que serão tendência para 2019 são: minimalismo, retrô e rústico. Priorize móveis de madeira e peças (como tampos de mesas e pias) de granilite.

    A ideia de tijolinhos aparentes na decoração também imprimem uma sensação mais aconchegante, podendo ser uma parede toda ou característico de um balcão, por exemplo.

    Uma pegada mais sustentável

    A sustentabilidade vem sendo colocada em pauta há muito tempo. Para 2019, esse tema tão importante não poderia ficar de fora das principais tendências.

    Voltando ao estilo mais rústico, o verde das plantas chega com mais força ainda. A decoração que envolve o tom natural da madeira abraça as plantas como ponto destaque para o próximo ano.

    As tendências de cores para 2019

    foto03

    A Pantone Color Institute é a marca responsável por eleger a cor destaque do ano posterior ao que estamos, bem como as que estarão entre as principais a serem utilizadas também.

    Na vertente que transmite a sensação de conforto e aconchego para o lar, a Coral foi definida como a cor de 2019. Como segunda aposta, as cores terrosas serão “auxiliares” nesse sentimento rústico — nuances de vermelho e cores amadeiradas serão bastante comuns em ambientes internos.

    Basicamente foram eleitas duas paletas de cores:

    Paleta Cravings: são cores mais vivas e que irão aguçar os sentidos referentes às comidas picantes. Essa paleta foi inspirada diretamente em tons de alimentos que aguçam o paladar para, então, causar uma instiga visual.

    Paleta Clássica: o tons da paleta clássica, por sua vez, são atemporais, mas garantem o tom de aconchego esperado. Cores escuras e elegantes, como o verde azulado, estarão em alta no ano de 2019.
    Pensando nas cores para as paredes, a marsala é o ponto de destaque entre os tons mais quentes. Tanto para a pintura, quanto para aplicação de papel de parede, aposte nesse tom sem medo.

    Formas e materiais em alta

    Além dos estilos e das cores, nós ainda teremos tendências em materiais e formas para seguir. Em busca da sensação de conforto que mencionamos, as formas orgânicas serão predominantes em 2019.

    Linhas curvilíneas e formatos redondos aparecerão em móveis, molduras, objetos de decoração e em tudo aquilo com o poder de transformar as impressões de um ambiente.

    Essas formas orgânicas destoam da tendência de linhas retas que vinham sendo destaque nos últimos anos. A vez é das curvas e dos traços que nos remetem à naturalidade das coisas, bem como as encontramos no meio.

    O que, consequentemente, nos traz de volta à ideia do uso da madeira para móveis e objetos, bem como as plantas como poderosos artigos de decoração.

    Na transição de tendências, o cobre é outro destaque que passa a ceder espaço para outros tipos de metais dentro da decoração. Portanto, aposte sem medo na hora de decorar.

    Fonte: C&C


  • CLICADO X COLADO – VOCÊ SABE AS DIFERENÇAS ENTRE OS PISOS VINÍLICOS?

    CLICADO X COLADO – VOCÊ SABE AS DIFERENÇAS ENTRE OS PISOS VINÍLICOS?

    Com a constante evolução dos materiais de construção que na maioria das vezes atendem as necessidades da população, surgiu o piso do tipo vinílico, que apresenta características como uma ótima absorção do som, evita o toque-toque, não empenam e não dilatam.

    Além de serem agradáveis no inverno e no verão não aquecerem, possuem propriedades antialérgicas, maciez, antimofo, entre outras.

    Um dos motivos pelos quais os pisos vinílicos apresentam uma boa procura no mercado é por causa das texturas e temperaturas agradáveis, uma vez que têm o mesmo tipo de material como base.

    Eles ainda possuem uma infinidade de cores e desenhos, o que faz com que combinem com os mais diversos tipos de ambientes.

    Para quem procura por um revestimento semelhante aos pisos de madeira, mas que não quer ter muitos gastos, esta é uma ótima ideia, pois seus modelos imitam as características dos tradicionais.

    Além disso, o piso vinílico é feito de um material ecologicamente correto, sendo produzido a partir de materiais recicláveis. E como se não bastasse, também é impermeável, o que facilita muito na hora da limpeza.

    Mas você sabia que há diferenças entre o piso vinílico click e o piso vinílico colado? Está na dúvida de qual piso vinílico utilizar? Então confira mais sobre ele a seguir.

    PISO VINÍLICO CLICK

    foto01

    O piso vinílico click apresenta como característica principal:

    Assim que você ouvir um click, indica que o piso está corretamente instalado. O piso click também é de fácil remoção, podendo ser retirado e colocado em qualquer tipo ou local de maneira rápida e prática.

    PISO VINÍLICO COLADO

    foto02

    Como o próprio nome diz, o piso vinílico colado é aquele que é fixado no chão com uma cola, procedimento esse feito por um profissional da área. Não é indicado que a instalação seja feita por pessoas leigas e sem habilidade prática na colocação de revestimentos.

    Para que esse piso seja instalado nas melhores condições possíveis, é imprescindível que o contrapiso esteja sem nenhum resquício de umidade e bem nivelado.

    Já com relação ao custo-benefício, é mais acessível que o piso click, porém apresenta a desvantagem de não poder ser reaproveitado por conta de seu processo de instalação, já que requer a remoção total do revestimento anterior, bem como o uso de cola específica, entre outros.

    Para quem busca rapidez na hora da instalação e também valores mais acessíveis, o piso vinílico colado apresenta-se como uma excelente opção.

    Fonte: Anisio Revestimentos


  • Tudo sobre papéis de parede

    Tudo sobre papéis de parede

    Confira as dicas sobre papel de parede para renovar a decoração de casa.

    Os papéis de parede podem ser um poderoso artigo de decoração para casa. Eles permitem uma mudança fácil e rápida para qualquer ambiente, pois têm uma aplicação extremamente simples e estão disponíveis em diversas texturas e cores.

    Para escolher o papel de parede perfeito e que mais combina com o seu estilo, segue algumas dicas para você renovar toda a sua casa. Confira!

    Os tipos de papéis de parede

    foto02

    Em primeiro lugar, nós precisamos saber a diferença entre os tipos de papéis de parede disponíveis no mercado. Os principais são: o tradicional, o vinílico, de tnt, em alto relevo, de veludo, em poliéster e, por fim, adesivo.

    Separamos as especificidades dos principais modelos e também em quais ambientes eles podem ser melhor aplicados. Assim, você pode se inspirar e começar sua decoração de casa imediatamente. Vamos ver?!

    Papel de parede tradicional

    Os papéis de parede tradicionais são compostos essencialmente de celulose, o composto básico do papel, e um revestimento de verniz. Devido a esse frágil material, apresentam um tempo de vida útil muito pequeno em relação aos demais. No entanto, a variedade de cores e estampas é bastante ampla.

    Deve ser aplicado em paredes uniformes e limpo sempre com um pano seco para evitar rasgos e danos.

    O modelo vinílico

    O modelo de papel de parede vinílico tem esse nome por receber um acabamento trabalhado em vinil e uma camada de PVC — o que o difere do vinilizado. Essa especificidade permite uma grande durabilidade desse papel e o torna impermeável.

    Esse papel é recomendado principalmente para locais cuja circulação de pessoas é grande, devido à sua alta resistência.

    Papel de parede em TNT

    O papel de parede Tecido Não Tecido (TNT) é composto por fibras — tanto de celulose quanto de poliéster. Essa mistura de componentes o torna durável e bastante resistente à luz e à umidade.

    Pode ser aplicado em basicamente todas as superfícies — lembre-se de evitar utilizar qualquer papel de parede nas áreas externas.

    Papéis de parede com alto relevo

    A tecnologia desenvolvida nos papéis de parede já nos permite, inclusive, alcançar um aspecto macio e almofadado na superfície. Esses são os modelos em alto relevo. Para isso, utiliza-se uma espuma injetável que têm texturas onduladas e fofas.

    São indicadas para superfícies de áreas internas com pouco (de preferência nenhum) contato com umidades. Sua limpeza deve ser feita com aspirador de pó e pano seco.

    Veludo: um papel de parede em alto padrão

    foto02

    Excêntrico e transmissor de uma sensação de primor e requinte, o papel de parede em veludo é considerado um modelo de alto padrão. A limpeza deve ser feita apenas com aspirador de pó, pois é um material extremamente sensível.

    Recomendado para áreas com pouco movimento e que não ficam expostas ao sol, esse pode ser um excelente modelo de papel de parede para quarto.

    Como aplicar o papel de parede?

    Uma das maiores vantagens do papel de parede é sua fácil aplicação. Em nosso post sobre “Decoração com Papel de Parede” nós fizemos um tutorial sobre como aplicar. Você vai encontrar a lista de materiais que precisa, bem como o passo a passo da instalação.

    É tão simples que você mesmo pode fazer, vale a pena conferir!

    Removendo o papel de parede antigo

    foto04

    Ok, eu quero renovar a minha decoração, mas eu já tenho um papel de parede aplicado… Como posso removê-lo de forma prática?

    Remover o papel de parede é um processo bem simples, desde que ele tenha sido colocado da maneira correta. Do contrário, você terá um pouquinho mais de trabalho, mas ainda assim conseguirá removê-lo. Para isso, tanto a água quanto o removedor de papel ajudarão no processo.

    Para os que são removíveis, basta puxar uma das pontas (se estiver velho, provavelmente alguma já estará solta) sempre bem rente à parede, evitando rasgos “no meio do caminho”.

    Se for um papel não removível, basta molhar com água morna e deixar agir por uns minutos. Depois, você deve retirá-lo usando uma espátula. No caso dos papéis laváveis, use uma lixa grossa e raspe toda a superfície antes de molhá-lo.

    Fonte: C&C