Dicas

  • Dicas para manter a segurança de crianças em casa durante as férias

    Dicas para manter a segurança de crianças em casa durante as férias

    Crianças são curiosas e não têm noção de perigo. E durante as férias, com mais tempo em casa, o risco de acidentes domésticos fica ainda maior. Segundo a ONG Criança Segura Safe Kids Brasil, cerca de 90% dos acidentes ou lesões não intencionais com crianças de até 14 anos poderiam ser evitados com medidas de prevenção como modificações no meio ambiente. Isso significa que pais e responsáveis precisam fazer a sua parte, providenciando as adaptações necessárias na casa e na rotina da família.

    "Os cuidados fazem a diferença", afirma Alessandra Françoia, coordenadora Nacional da ONG. Uma sugestão geral é manter os telefones de emergência como SAMU (192) e Corpo de Bombeiros (193) sempre à mão. Veja quais os pontos de maior vulnerabilidade e soluções que ajudam a deixar a casa mais segura para seu filho.

    Banheiro

    Quando a criança é pequena, o peso da cabeça é proporcionalmente maior do que o corpo, o que pode influenciar no equilíbrio. O ideal é que elas não fiquem nunca sozinhas. "Deixar a criança na banheira para pegar uma toalha ou atender o telefone pode ser perigoso, assim como deixá-la se debruçar no vaso. Ela pode cair e não conseguir sair devido ao peso da cabeça. Cerca de 10 segundos são suficientes para que a criança fique submersa e em 2 minutos ela pode perder a consciência", alerta a profissional.
    Para evitar, ela recomenda: lacres de privada, que são fáceis de instalar e impedem que a criança tenha acesso ao vaso sanitário; e tapetes antiderrapantes no fundo da banheira, que ajudam a diminuir os riscos de queda.

    Cozinha

    A cozinha é um dos ambientes mais perigosos para crianças que já caminham. Se elas eventualmente tiverem acesso ao ambiente, certifique-se de que panelas e utensílios com ponta ou fio, como facas e tesouras, sejam mantidos fora do alcance. Os sacos plásticos também podem oferecer risco de morte por sufocação.
    As soluções indicadas são: utilizar as bocas de trás do fogão ao cozinhar e certificar-se de que os cabos das panelas estejam virados para dentro, para não serem alcançados; e usar puxa-sacos, para que os sacos plásticos de supermercado sejam mantidos fora do alcance das crianças.

    Salas e áreas comuns

    As toalhas compridas na mesa de jantar estão proibidas. Elas são mais um risco, principalmente, para crianças que ainda se apoiam em tudo para se equilibrar. "Ao puxar a toalha elas podem derrubar tudo o que houver em cima dela, como líquidos e alimentos quentes, copos de vidros, talheres e louças, que podem causar ferimentos graves", explica Françoia. Além disso, vãos em sacadas e escadas podem representar risco de vida e precisam ser isolados. Segundo os dados da ONG, cerca de 40 crianças morrem por queda de janela por ano no Brasil.
    Por isso, prefira toalhas curtas ou jogos americanos; coloque antiderrapante nos tapetes ou retire-os os temporariamente; use portões de segurança no topo e na base das escadas e, caso a escada seja aberta, instale redes ao longo dela; instale também grades ou redes de proteção em janelas, sacadas e mezaninos; substitua fios elétricos desencapados e proteja tomadas com tampas apropriadas ou, simplesmente, esconda-as, posicionando móveis de forma que a criança não tenha acesso; prefira cortinas ou persianas com panos grossos e pesados, que são mais difíceis para a criança manusear, e sem cordas, que causam risco de estrangulamento; e evite posicionar camas e qualquer outro móvel perto da janela, pois eles podem ser usados para escalar.

    Lavanderia ou área de serviço

    Esse espaço da casa está entre os que exigem maior atenção. Para crianças pequenas, até mesmo baldes com apenas 2,5 cm de água podem trazer riscos de afogamento. Produtos de limpeza, por serem coloridos, na maioria das vezes são confundidos com brinquedos ou produtos para consumo, como suco ou refrigerante, e os pequenos tendem a não resistir à tentação de experimentá-los.
    A dica é manter os baldes sempre vazios e guardá-los virados para baixo e longe do alcance das crianças; ter um armário fechado onde os produtos de limpeza devem ser guardados em lugares altos ou trancados, além de mantê-los em seus recipientes originais para não confundir as crianças.